quinta-feira, 19 de Novembro de 2009

Tabuleiro em estanho - como fazer

Ora vamos então começar o nosso trabalhinho conforme o que anteriormente aqui foi dito.
Em primeiro lugar devemos arranjar os materiais necessários que são os que se podem ver na foto.

Uma camurça, na falta desta pode ser uma revista velha, o estanho necessário para realizar o trabalho, um lápis normal com o bico não muito afiado, um lápis de ponta de teflon (plástico), eu uso o que está na foto que é próprio para trabalhar a folha de prata e ouro, mas na falta deste pode fazer-se o trabalho com o lápis normal e com o bico sem estar afiado, mais rombo.

Há também os tecs em ponta de teflon e outros em metal, que podem dar uma ajuda durante a elaboração dos trabalhos.

Não podemos deixar de lado os esfuminhos, que são lápis em papel e de várias grossuras, que servem para dar volume ao estanho.

Para servir de base ao nosso trabalho aconselho o uso de um vidro do tamanho de uma folha A3, porque o vidro é uma superfície resistente e pode manter-se limpa de impurezas ou quaisquer outras imperfeições que possam estragar o trabalho e também para não danificarmos a mesa.

O primeiro passo é colar, com 3 ou 4 tiras de fita -cola, o desenho à parte direita da folha de estanho.

O estanho tem duas faces diferentes, a direita que é mais brilhante e num tom amarelado, esta é a que deve ficar para cima, a outra é mais cinzenta, cor do chumbo, mas também tem brilho. Há no entanto a salientar que há estanho que é igual dos dois lados.

Depois de colar o desenho no estanho coloca-se em cima da revista ou da camurça passa-se o desenho com o lápis mas, não fazendo muita pressão, só mesmo para deixar o desenho marcado no estanho.O trabalho deve ser sempre iniciado a partir do meio para as pontas, porque o estanho tem tendência a dilatar.

Antes de se descolar o desenho deve-se ver pela parte de trás do estanho se o desenho ficou passado na totalidade ou se faltou alguma parte, só depois de nos certificar-mos é que descolamos o papel do estanho mas com cuidado.

Quando se tem dificuldade em ver qual a parte do desenho que está passada, pode utilizar-se para o efeito em vez do lápis de grafite um lápis de cor, por exemplo encarnado, assim é mais fácil ver os caminhos que já percorremos

E pronto o primeiro passo está dado.

Nota: Algum passo que me possa esquecer assim como alguma dica, eu irei abordá-los nos posts seguintes fazendo referência.

Sem comentários: